Tudo que você precisa saber sobre a compra de painéis solares em casa



As casas movidas a energia solar eram uma raridade há apenas uma década. Mas uma infinidade de incentivos fiscais federais e locais, juntamente com crescentes preocupações com a mudança climática, os tornaram comuns.


A instalação de painéis solares pode reduzir a emissão de carbono do seu lar em uma média de 15957,38 Kg de dióxido de carbono por ano. Você teria que plantar 88 árvores todos os anos para compensar essa quantidade de dióxido de carbono!


Mas entre um emaranhado de tecnológicos e uma explosão de instaladores e planos de financiamento, pode ser difícil descobrir por onde começar. Esta introdução deve ajudar.


Projeto:  Instalação de painéis solares.

Por quê:  reduzir sua pegada de carbono e economizar uma média de R$ 275 por mês em sua conta de eletricidade.

Como funciona:  Os painéis solares são  células fotovoltaicas (FV) . Em suma, essas baterias especiais aproveitam a luz solar, transformam-na em energia e, em seguida, enviam essa energia para um inversor, que a converte em eletricidade para alimentar a casa.

Quem contratar: A instalação de painéis solares não é tão simples quanto dar um tapa no visual de um telhado. Você precisará instalar uma fiação adicional e a colocação do painel é fundamental para a criação de um sistema eficiente. Então é melhor deixar para os profissionais.

Procure por um profissional de energia solar que:


  1. Oferece uma garantia forte. Certifique-se de que o inversor esteja coberto por pelo menos 7 anos e que os painéis estejam cobertos por 10 anos.

  2. Usa painéis fabricados por um fabricante conhecido. Dessa forma, sua garantia ainda protegerá você caso ocorra algum problema.

  3. Forneça garantia de instalação e suporte de manutenção proativa dos seus equipamentos.

  4. Lhe ofereça a possibilidade de realizar uma compra via financiamento ou parcelada no cartão de crédito.

Faixa de custo:  O preço dos painéis solares caiu 60% desde o início de 2011. Juntamente com créditos e subsídios fiscais federais e locais, isso ajudou a reduzir a média nacional de custos iniciais para cerca de R$ 11.500, para sistemas pequenos.


Tempo típico para instalação do projeto: A fiação e a instalação geralmente levam alguns dias. Pode levar de algumas semanas a alguns meses entre o momento em que você assina o contrato e a instalação real, no entanto.


Permissão junto à distribuidora de energia:  Absolutamente obrigatório. Isso é uma grande parte do motivo pelo qual muitas vezes há um pouco de lead time entre a assinatura do contrato e a instalação de um sistema. Os tipos e custos das licenças variam por município; seu instalador normalmente os obterá para você.


Considerações sobre o projeto:  Parece óbvio, mas seu telhado precisa receber sol direto durante a hora do dia em que a luz do sol é mais forte (geralmente entre as 10h e as 14h) para que seu sistema funcione eficientemente.


Árvores, prédios altos e até mesmo uma chaminé podem afetar a exposição ao sol de seus painéis. E diferentes tipos de painéis reagem de várias maneiras à sombra; alguns reduzem a produção e outros desligam completamente. Quanto mais horas os painéis estiverem expostos a pleno sol, mais eficientemente eles gerarão energia.


A quantidade de radiação solar que atinge o solo durante um determinado período de tempo também difere dependendo da região em que você vive.


Manutenção

Os módulos solares duram muitos anos. Podem funcionar bem por até 25 ou 30 anos, empregando 80% de seu potencial. Essa elevada durabilidade contribui para os baixos custos de manutenção.


É necessário manter os módulos livres de sujeira, que tende a dificultar a eficiência do sistema. Em cidades muito poluídas, por exemplo, existe uma probabilidade maior de o sistema acumular sujeira com mais frequência.


Considerando locais com muita chuva, a água que cai do céu se encarrega de efetuar uma limpeza básica, que efetivamente ajuda.


De qualquer forma, o sistema requer pouca manutenção, a qual também é barata. Nos locais em que chove pouco e há muita poeira, o ideal é proceder a uma limpeza semestral. Um pano molhado com água pode ser suficiente. Caso seja necessário, pode-se usar um rodo para ajudar. Não é aconselhável aplicar produtos abrasivos.


Muitas vezes, usando a mangueira, já é possível limpar os módulos, sem a necessidade de subir no telhado. Caso seja preciso ir até o telhado, é importante tomar procedimentos de segurança ou chamar algum profissional para limpar.


Se os painéis estiverem em alguma estrutura diretamente sobre o chão, a manutenção torna-se ainda mais acessível.


Vantagens de um sistema fotovoltaico

Finalmente, vamos considerar as vantagens em comprar e instalar um sistema fotovoltaico. Na verdade, esses benefícios já vêm sendo citados ao longo do texto, mas agora vamos condensá-los para um melhor entendimento do leitor.


Economia no longo prazo

O ROI (Retorno sobre o Investimento) se dá em um período de 4 a 6 anos. Os painéis solares atuais têm uma garantia de fábrica de 25 anos, enquanto inversores apresentam durabilidade que vai de 12 a 15 anos. Isso significa que, na metade da vida útil dos módulos, será necessário substituir os inversores.


De qualquer maneira, tanto os módulos como os inversores são duráveis, com vida útil longa, que não é encontrada em todo equipamento.


Levando em conta um período de funcionamento de aproximadamente 30 anos, as pessoas que investem nos sistemas fotovoltaicos conseguem usufruir de 24 a 26 anos de pura economia!


Certamente, vale a pena pagar contas de luz bem mais baixas e não ficar condicionado à rede de fornecimento de eletricidade local.


Geração mais rápida de energia

Com os sistemas fotovoltaicos, sejam on-grid, off-grid ou híbridos, a produção de eletricidade é mais autônoma e mais rápida, ao contrário do que ocorre com a energia convencional, cujo processo é muito mais complexo e demorado.


Devido à maior simplicidade na produção de energia elétrica é que a ANEEL permitiu a micro e a minigeração, o que estimula não somente empresas, mas residências também, a adquirirem painéis fotovoltaicos para produzir sua própria energia.


Créditos de energia solar

Já falamos muito sobre os créditos de energia solar. Nos sistemas on-grid e híbrido, o excedente de eletricidade produzida cai na rede, gerando créditos que são abatidos nas contas mensais de luz.


O sistema tem a potência calculada de forma que o consumidor paga somente a taxa de disponibilidade definida pela distribuidora. A compensação dos créditos é automática, sendo efetivada no momento em que é emitida a conta de energia.

Essa vantagem certamente contribui ainda mais para o fator economia.


Sustentabilidade

Com o sistema fotovoltaico, a sustentabilidade é evidenciada pela utilização de uma fonte de energia limpa e praticamente infinita (o Sol), o que favorece a geração de uma energia mais barata e, principalmente, aprimora a produção da matriz energética do Brasil.


Aproveite para instalar seu sistema! Entre em contato com a gente e veja os serviços e produtos que oferecemos!


Selo Solar de Sustentabilidade


O Brasil é um dos países com maior potencial para gerar energia a partir do sol do mundo. E o Selo Solar, certificado concedido pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (IDEAL) com o apoio do WWF-Brasil, comprova o interesse por esta energia limpa e renovável. Ao todo, já foram concedidos 165 selos, em 17 estados, distribuídos para residências, empresas, instituições públicas e privadas e Organizações Sociais. Unidades de Tocantins, Maranhão e Paraíba receberam a certificação pela primeira vez esse ano.  


Esse incentivo aos que fazem a diferença na mudança rumo a uma matriz energética mais limpa atesta a importância da sociedade em se mobilizar para essa transformação, que causa impactos positivos e duradouros ao meio ambiente. Empresas, organizações e pessoas físicas apresentam um papel fundamental nessa mudança, já que a micro e mini geração solar (pequenas geradoras de energia em residências e edifícios) têm crescido a passos largos no Brasil. “Quem usa o Selo Solar ajuda no enfrentamento aos desafios ambientais de duas formas. Primeiro, mostra que produz e consome energia limpa. Segundo, ao utilizar a marca, auxilia a divulgar a ideia da sustentabilidade”, explicou o presidente do Instituto IDEAL, Mauro Passos.      

O Selo Solar foi criado pelo Instituto IDEAL em parceria com a agência de Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável − a GIZ e  o KfW, com apoio  do WWF-Brasil.


“Queremos incentivar a sociedade civil a combater as mudanças climáticas em casa, no trabalho e na empresa. Todos nós podemos dar nossa contribuição na transformação da matriz energética brasileira e tornar nosso país referência em energia limpa e diversificada”, avalia Alessandra Mathyas, analista de conservação do WWF-Brasil.


Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), o número de ligações de microgeração de energia totaliza mais de 37 mil sistemas em 2018 no Brasil, sendo a maiora em energia solar fotovoltaica. E o que chama a atenção: mais de dois terços dessas ligações foram residenciais. A ANEEL estima que passaremos de 1 milhão de sistemas instalados em 2024. Gerar sua própria energia por meio de fonte renovável, nesse caso a solar, não é só motivo de orgulho por ser “amigo do meio ambiente”, mas também por trazer benefícios econômicos. Além de reduzir seu custo com energia, ainda evita as oscilações tarifárias que recaem no consumidor final.


Para obter o Selo Solar, o interessado precisa obter um sistema fotovoltaico (FV) com uma potência mínima conforme o subgrupo tarifário em que está inserido. Após fazer o pedido, é preciso enviar alguns documentos, como fotografias e contas de luz. Também há uma taxa administrativa única que varia de um a três salários mínimo. Todas as informações podem ser acessadas aqui. Estes exemplos brasileiros são uma prova de que a energia solar vem crescendo no país e se diversificando.


Mais especificamente, o Selo Solar já foi entregue para residências, pequenos comércios -como academias, salões de beleza e escritórios contábeis, vinícula, escolas - associação de municípios, industrias, estádio de futebol - Pituaçu, em Salvador - e organizações ambientais, como o Projeto Tamar da Praia do Forte (BA). Um dos destaques foi a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Também foi concedido o Selo para o Grupo Fotovoltaica-UFSC, que desenvolve pesquisas na área.


Entre os pedidos em análise está o da Câmara de Vereadores de Campo Bom (RS), que produz 100% do que consome .


Como obter o Selo Solar ?


O Selo Solar é concedido para empresas, instituições públicas e privadas e proprietários de edificações que consumam um valor mínimo anual de eletricidade solar por meio de sistemas fotovoltaicos conectados à rede (micro ou minigeradores) ou por meio da contratação de energia no mercado livre.


Todos os detalhes do processo de solicitação estão nas Diretrizes para Obtenção do Selo Solar, agora divididas em duas categorias:


Geração Distribuída – faça o download aqui.

Mercado Livre – faça o download aqui.


Os anexos estão disponíveis para download abaixo:


Anexo 1a – Anuência para pessoa jurídica.

Anexo 1b – Anuência para pessoa física.

Anexo 2 – Formulário de informações cadastrais.


Leia com atenção as diretrizes e reúna toda a documentação necessária antes de preencher o formulário abaixo.


Geração Distribuída – clique aqui

Mercado Livre – clique aqui


ASG

https://www.asgit.com.br/solar

contato@asg.com.br

(51) 3376.1210

Posts em Destaque
Posts Recentes
Arquivo

VENDAS

(51) 3376-1210

(51) 99340-7861

ONDE ESTAMOS
PORTO ALEGRE -RS

Rua Corcovado, 247

Bairro Auxiliadora

CEP: 90540-100

Tel:. (51) 3376-1210